logo

Fale conosco: (55) 3242 1750 | (55) 8402 6371

WhatsApp: (55) 8402 6337

Matriz: Rua 13 de maio 430, centro, Sant'ana do Livramento, RS

Dia Mundial de Combate a AIDS

Combate a AIDS

O dia 1° de dezembro é o dia mundial de combate à AIDS (Acquired Immune Deficiency Syndrome). A AIDS é uma doença que ataca o sistema imunológico do homem, permitindo que seu organismo fique fragilizado, podendo ser contaminado com o vírus de várias outras doenças. O vírus responsável pela doença é o HIV (vírus humano da imunodeficiência), fazendo da AIDS a quarta doença que mais causa morte no mundo.

Instituído no final da década de oitenta, o dia primeiro de dezembro une pessoas do mundo todo a fim de fazer um manifesto de conscientização sobre a doença e seus maiores problemas.
Um compromisso global com a aceleração da resposta ao HIV nos próximos cinco anos permitirá que o mundo acabe com a epidemia de AIDS em menos de duas décadas. A conclusão vem do novo relatório do UNAIDS Acelerando a resposta para acabar com a epidemia de AIDS em 2030. O Relatório informa que cerca de 28 milhões de novas infecções pelo HIV e 21 milhões de mortes relacionadas à AIDS poderão ser evitadas nos próximos 15 anos caso o mundo se comprometa em adotar a abordagem do UNAIDS de Aceleração da Resposta ao vírus.

O novo conjunto de metas que precisam ser alcançadas até 2020 faz parte da estratégia 90-90-90: que 90% de todas as pessoas vivendo com HIV conheçam seu status; que 90% das pessoas diagnosticadas recebam terapia antirretroviral; e que 90% das pessoas recebendo tratamento possuam carga viral suprimida e não mais possam transmitir o vírus.

O UNAIDS estima que cerca de 13,6 milhões de pessoas tinham acesso à terapia antirretroviral em todo o mundo até junho de 2014, uma conquista significativa para garantir que 15 milhões de pessoas estejam em tratamento até 2015, mas ainda distante das metas 90-90-90. Além disso, um esforço especial será necessário para eliminar as lacunas ainda existentes para aumentar o número de crianças em tratamento.
A abordagem do UNAIDS de Aceleração da Resposta enfatiza a necessidade de focar as ações nas regiões, cidades e comunidades mais afetadas pelo HIV e recomenda que os recursos sejam concentrados nas áreas onde o impacto será maior. Esta abordagem reforça ainda que são necessários esforços especiais nos 30 países que respondem juntos por 89% das novas infecções pelo HIV em todo o mundo, entre eles o Brasil. Para Acelerar a Resposta nacional nestes 30 países prioritários será necessária ampla mobilização de recursos humanos e institucionais, bem como de parceiros internacionais estratégicos, além de compromissos significativos, tanto das fontes domésticas quanto internacionais de financiamento.
A importância de alcançar as pessoas mais afetadas pelo HIV é destacada no Relatório como essencial para acabar com a epidemia da AIDS. O documento também levanta preocupações com as questões de acesso aos serviços de HIV para as pessoas mais necessitadas.

Voltar